Formidável Psicose.
©
Mas tudo bem, você pode ir. Sua vontade nunca foi ficar, se é que você um dia esteve.
Guilherme. (via inverbos)
É uma saudade pós-saudade. Uma saudade sem o peso de uma saudade. Uma saudade sem a tortura de uma obsessão. Uma saudade de detalhes que só vem em sonhos que não me acordam antes das cinco. Uma saudade que não podia sentir quando estava cheio de saudade. Uma saudade que remete ao último gole do meu bourbon em copo de extrato de tomate. Uma saudade de quem aprendeu a conviver com o pôr do sol.
Gabito Nunes.  (via inverbos)
Sinto muito. Sinto por sentir tanto, por me importar tanto, por amar tanto. Sinto por querer, por tentar. Sinto por não esquecer ou por não deixar de lembrar. Sinto, eu apenas sinto e sentir é uma droga.
Gossip Girl.  (via inverbos)
Ele não sabe mais nada sobre mim. Não sabe que o aperto no meu peito diminuiu, que meu cabelo cresceu, que os meus olhos estão menos melancólicos. Ele não sabe quantos livros pude ler em algumas semanas. Não sabe quais são meus novos assuntos nem os filmes favoritos. Ele não sabe quantos amigos desapareceram desde que me desvencilhei da minha vida social intensa. Ele não sabe que eu nunca mais me atentei pra saudade. Que simplesmente deixei de pensar em tudo que me parecia instável. Que aprendi a não sobrecarregar meu coração, este órgão tão nobre. Ele não sabe que tenho estado tão só sem a devastadora sensação de me sentir sozinha. Ele não sabe que desde que não compartilhamos mais nada sobre nós, eu tive que me tornar minha melhor companhia: ele nem imagina que foi ele quem me ensinou esta alegria.
Caio Fernando Abreu. (via s-i-m-p-l-i-f-i-c-a-r)
Passo sim, horas e horas lembrando das coisas que a gente já viveu.. Hoje, lembrei de uma quinta-feira a tarde, você tava de folga do trabalho, a gente decidiu passar o dia inteiro juntos. Eu mal sai da aula e você já estava me esperando lá fora… Parado, estendeu a mão pra mim, me puxou e deu aquele abraço que só você sabia dar. A gente andou até a sua casa, almoçamos e deitamos na cama como se fossemos um casal na hora de dormir, eu ocupei maior parte da cama e você nem se importou. Eu me irritei como sempre e fiquei de cara fechada, você me abraçou. Eu ”dormi” no teus braços e acordei com você me olhando e ouvi o “Eu te amo” mais verdadeiro da minha vida inteira, era verdade não era? O nosso amor era de verdade, não era? A gente passou a tarde inteira sendo feliz, simples e feliz, simplesmente feliz.
Quinta-feira a tarde, um dia pra nunca mais.
A gente não se beija nem nada, mas quando vai ver pegou na mão um do outro de tanto que se gosta e se cuida e se sabe. Mas evoluímos para esse amor que nem sei explicar. Ele me conta das meninas, eu conto dos caras. Eu acho engraçado quando ele fala “ah, enjoei, ela era meio sem assunto” e olha pra mim com saudade. Ele também ri quando eu digo “ah, ele não entendeu nada” e olho pra ele sabendo que ele também não entende, mas pelo menos não vai embora. Ou vai mas sempre volta. Não temos ciúmes e nem posse porque somos pra sempre. Ainda que ele case, more na Bósnia. Somos pra sempre.
Tati Bernardi.  (via romantizar)
Eu sei, tô aqui de novo. Chorando pelos mesmos motivos a praticamente 6 meses, meio ano se passou e a saudade é igual. Por Deus, que dor é essa? Prometi não escrever, mas eis-me aqui.. Quebrando mais uma das mil promessas que fiz só pra te evitar, pra evitar o inevitável, o que me é vital. As coisas não deram tão certo quanto a gente planejou, não é mesmo? Mas eu já tinha rasgado os planos. Eu desfiz a minha cartela de emoções, os prêmios, os discos, as flores, as mensagens, as cartas, as fotos e os pequenos bilhetes. Desmanchei as esperanças pra ver as coisas da melhor forma. Desesperei, des esperei, não esperarei nada mais.
Em crise. (Formidável-psicose.)
Se eu morrer antes de você, faça-me um favor: Chore o quanto quiser, mas não brigue com Deus por Ele haver me levado. Se não quiser chorar, não chore; Se não conseguir chorar, não se preocupe; Se tiver vontade de rir, ria; Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito, ouça e acrescente sua versão; Se me elogiarem demais, corrija o exagero. Se me criticarem demais, defenda-me; Se me quiserem fazer um santo, só porque morri, mostre que eu tinha um pouco de santo, mas estava longe de ser o santo que me pintam; Se me quiserem fazer um demônio, mostre que eu talvez tivesse um pouco de demônio, mas que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo… E se tiver vontade de escrever alguma coisa sobre mim, diga apenas uma frase: “Foi meu amigo, acreditou em mim e sempre me quis por perto!” Aí, então derrame uma lágrima. Eu não estarei presente para enxugá-la, mas não faz mal. Outros amigos farão isso no meu lugar. Gostaria de dizer para você que viva como quem sabe que vai morrer um dia, e que morra como quem soube viver direito. Amizade só faz sentido se traz o céu para mais perto da gente, e se inaugura aqui mesmo o seu começo. Mas, se eu morrer antes de você, acho que não vou estranhar o céu. Ser seu amigo, já é um pedaço dele…
Chico Xavier. (via reconhecer)